Um Papo sobre intersexualidade – Com Thaís

Um Papo sobre intersexualidade – Com Thaís

Entrevistadora: Aline

Entrevistada: Thaís

Quando falamos sobre o mês do orgulho nós estamos falamos sobre o movimento LGBTQIA+, mas muitas vezes o movimento recai com seu foco para os LGBT, isso vem muito porque o movimento inicial foi criado por eles, mas e as outras letras? Pensando nessa pergunta, vamos falar hoje sobre a letra I do movimento, as pessoas Intersexo.

Para falar sobre o assunto nós entramos em contato com a Thaís, mãe de criança intersexo, pessoa ativa no movimento LGBTQIA+ com foco maior no I, atual presidente e co-fundadora da Associação Brasileira de Intersexos (ABRAI).

Para começo de conversa gostaríamos de deixar claro que ser intersexo não é ser doente, não é ter uma patologia, é uma condição biológica variada comum que acontece porque a natureza quis assim. Por que estou explicando isso? Porque a maioria das pessoas que estão lendo isso ou são adultos jovens, jovens ou crianças entrando na adolescência e por estarem nessa faixa etária, quando estudaram sobre Alterações Cromossômicas na escola, infelizmente, aprenderam sobre como bebês com genitália ambígua eram “anormais” e provavelmente viram imagens em seus livros que representavam eles de forma assustadora para quem está vendo e conhecendo eles pela primeira vez. Quando essa imagem e idéia é implantada na cabeça de alguém desde cedo ela naturalmente vai crescer com esse conceito em sua cabeça, logo ela não vai naturalizar aquilo e vai ter medo, criando um preconceito dentro de si sobre aquilo que ela realmente não conhece. Mas vamos ser claros, por que temos que achar que ser intersexo é anormal? Só porque algum adulto mal informado nos disse?

Não tem nenhum problema em ser Intersexo, assim como eu e você, eles são pessoas comuns que comem, respiram, amam, trabalham e/ou estudam.

Muitas pessoas, na verdade, não conhecem o termo Intersexo e se perguntam o que ela significa, por isso, para explicar, pegarei emprestado as palavras da Dan Christian Ghattas, diretor Executivo da Organização dos Intersexos Internacional da Europa (OII Europe):

Indivíduos intersexo são pessoas nascidas com características sexuais (Tais como cromossomos, genitais e  hormonais de estrutura hormonal) que não pertencem às categorias de macho ou fêmea, mas que pode pertencer aos dois ao mesmo tempo. Médicos frequentemente aconselham os pais a fazer cirurgias e outras intervenções médicas em recém nascidos e crianças para fazer seu  corpo (parecido) com características de machos ou fêmeas. Em muitos casos, tais intervenções não são medicamente necessária  e tem consequências extremamente negativas em crianças intersexo  quando elas crescem.

Intersexo está num espectro de variações de características sexuais que naturalmente ocorre na espécie humana .

Historicamente, o termo ‘intersexo’ foi usado como desordem que necessitava de correção. Nas duas últimas décadas o termo foi pego e reformulado, sendo atualmente usado como um termo guarda-chuva para luta de direitos humanos das organizações Intersexo.

Nossas características sexuais são definidas no nosso nascimento, sendo ou não intersexo. De qualquer forma, as características de um corpo intersexo podem aparecem em diferentes fases da vida: no nascimento, na infância, na puberdade e até mesmo na vida adulta. Dependendo das circunstância de vida no qual a pessoa cresce e nos tabus impostos a ela, a pessoa pode descobrir bem cedo ou bem tarde que é intersexo, ela pode até mesmo passar a vida toda sem saber que é Intersexo (GHATTAS, D. C. 2015).

Quando estamos lendo e pesquisando sobre Intersexo muitas coisas vem a nossa mente conforme vamos aprendendo mais e mais sobre eles, então, depois de absorver um pouco deste conhecimento que nos tornamos conscientes do que eu comentei no começo, então nós começamos a pensar “Hei, eu já estudei isso na escola!” e então percebemos que a primeira abordagem que tivemos sobre esse assunto não foi positivo. Felizmente podemos mudar nosso modo de pensar e nos tornar abertos ao conhecimento e compreensão do assunto, deixando de lado aquele preconceito que tivemos sobre os intersexo quando aprendemos sobre eles de forma errônea na escola.

Uma das grandes lutas dos pais de crianças intersexo é o registro de seus filhos, como comentado durante a entrevista, muitos médicos, hospitais e locais de registro de nascimento infantil não registram os bebês intersexo por causa da questão de gênero e mesmo tendo uma lei desde 2012 que diz que os bebês podem sim ser registrados muitos ainda não fazem isso, dizendo aos pais que só o farão depois da cirurgia que determinará o sexo do bebê. Muitos médicos dizem ou orientam tal coisa (para não dizer mutilação) porque eles foram orientados dessa forma desde que estavam em seu período acadêmico e não estão cientes da lei que permite aos pais registrar seus filhos mesmo que eles tenham nascido com genitália ambígua. Felizmente os tempos estão mudando e alguns professores e médicos estão ficando mais cientes do movimento e da lei sobre bebês intersexo, então esperamos que no futuro a mutilação dos bebês diminua a ponto de nem existir mais, deixando assim para a própria pessoa decidir por ela mesma como viver. Deixando, enfim, a pessoa ser quem ela é sem a interferência de terceiros.

Há muitas assuntos sobre o qual poderíamos falar quando se trata do movimento Intersexo, porque é uma luta não apenas do indivíduo, mas também de sua família, mas por enquanto deixarei que ouçam a entrevista e pesquisem por si mesmos mais aprofundadamente, então, se quiserem ler mais sobre o assunto, vocês poderão pedir uma matéria sobre, porque esta é, infelizmente, apenas uma pequena nota para que tentem entender melhor a entrevista.

Link para comprar o livro “Jacob(y) ‘Entre os sexos’ e cardiopatias, o que o fez anjo?”: https://www.amazon.com.br/Jacob-entre-sexos-cardiopatias-Anjo/dp/8536661453

Canais do YouTube para entender mais sobre Intersexo e o movimento Intersexo:

‘Thais Beto’: <https://www.youtube.com/channel/UC8JNBh2AsBT8TcXpgKgGLdw>

‘Dione Freitas’: < https://www.youtube.com/channel/UCxEMVT5B_umeTx3LXqp0b_Q >

ABRAI, Facebook: <https://www.facebook.com/abraintersex/>

Matérias sobre bebês Intersexo:

https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2019/06/27/maes-de-intersexuais-relatam-atendimento-inadequado-ela-nem-tem-vagina.htm

https://www.diariodaregiao.com.br/index.php?id=/cidades/materia.php&cd_matia=1067007

https://www.diariodaregiao.com.br/_conteudo/2018/05/cidades/1107429-morre-jacob-menino-intersexo.html

GHATTAS, D. C. Standing up for the humans rights of intersex people – how can you help? ILGA-EUROPE. December, 2015. Disponível em: <https://www.ilga-europe.org/sites/default/files/how_to_be_a_great_intersex_ally_a_toolkit_for_ngos_and_decision_makers_december_2015_updated.pdf>

Compartilhar esta publicação

Comentário (1)

  • Avatar
    Vitória Resposta

    Esse projeto de entrevistas é perfeito, ele precisa realmente continuar.

    02/07/2020 at 00:44

Comente e deixe a gente Feliz


%d blogueiros gostam disto:
Optimized with PageSpeed Ninja