Startups e a Comunidade LGBT

Startups e a Comunidade LGBT

Fala meus Moranguinhos, tudo bom com vocês?

Hoje eu queria falar de um assunto um pouco mais conceitual que o normal, mas que espero trazer um suspiro de tranquilidade e conhecimento para todos vocês!

Hoje vamos falar de Startups e de como esse novo ramo empresarial pode ser benéfico e acolhedor para a comunidade arco íris!!! Se estão um pouco perdidos, relaxem, pois, a Annakim aqui irá explicar tudo certinho para vocês entenderem melhor. 

Afinal, o que é uma Startup? É modelo de negócio inovador, repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza e com soluções a serem desenvolvidas, mas falando de forma mais fácil, é um ramo de uma empresa criada geralmente por empresários jovens, que buscam outros jovens com conhecimentos bem amplos para criar algo que não tenha sido criado ainda, ou explorar algum mercado que não foi explorado. Uma Startup bem conhecida que provavelmente você já ouviu falar foi a Nubank, um local que trabalha digitalmente, com diversos profissionais de vária especializações, mas com o mesmo ramo de conhecimento, onde o objetivo é apenas facilitar a vidas das pessoas quando o assunto é dinheiro, banco, moeda digital, poupança, renda e essas coisas. 

Esses locais geralmente são bem inovadores quando o assunto é forma e rotina de trabalho, com espaços grandes e bem informais, momentos de descontração, poucas regras e pouca burocracia e o nosso ponto importante, uma equipe muito mais muito, acessível e diferente.

E isso é a onde nós íamos chegar hahaha. Todo membro da comunidade sabe como é difícil trabalhar em locais bem formais, assim como empresas de ramos comuns ou escritórios, ou até empreender em seu próprio negócio. Há barreiras desde o dia da entrevista até o dia a dia comum de trabalho, tendo que haver paciência com olhares mirantes em você, piadas sem graças, conversas desconversadas ou até o preconceito mais inaceitável de não contratação por ser colocado como “fora dos padrões que a vaga necessita”, puro K.O neh gente???

As Startups têm sido, foram e prometem ser cada dia mais, empresas de portas abertas para o público LGBTQ, por entender e afirmar com toda a certeza que inicialmente, “são pessoas como todas as outras” e que “podem até trazer mais benefícios pois são pedras não lapidadas pelo mercado que podem gerar grandes pedras preciosas em nossa empresa”, gostaram dessa analogia meus Morangos?

Há diversas Startups que são voltadas para a comunidade LGBTQIA+, criando produtos e serviços que ajudem o dia a dia das mesmas, se liga:

-My GWork: Uma espécie de LinkedIn para LGBTQ no Reino Unido, promovendo inclusão no mercado de trabalho, que muitas vezes fecha as portas por razões homofóbicas.

– TODXS: é uma startup social sem fins lucrativos com mais de cem pessoas que trabalham voluntariamente e de maneira remota com uma única missão: empoderar a comunidade LGBTI+ e fazer do Brasil um país inclusivo, sem discriminação.

– Yumbrel: “É um aplicativo localizador que reúne em um só ambiente informações sobre casas de acolhimento, bares, restaurantes, hotéis, entre outros serviços e profissionais para a população LGBT, ou seja, uma plataforma que age como um assistente para essa comunidade. ” (Empresa BR!!!!)

Ou seja, é um leque bem legal, onde tanto a equipe quanto o público alvo do projeto é LGBTQIA+ e trabalha super de boas. Infelizmente não é algo que podemos encontrar em todas as empresas e ainda é também um Tabu mesmos nas Startups BR, mas, de pouco a pouco este cenário tem mudado, então podemos manter nossa esperança neh?!

Algumas curiosidades que descobri abordando este assunto: 

– O CEO da Apple – Tim Cook, é Gay assumido há anos!!!!

– 47% das pessoas assumem sua Sexualidade a seus colegas de trabalho

– 74% das startups têm a maioria masculina e ainda não existem dados apontando para diversidade de etnia e orientação sexual.

Explicando sempre que a ideia desta matéria é mostrar que há uma chance, mesmo que no momento pequena ainda, de essa “vibe” de aceitação no mercado de trabalho possa ser disseminada para outras empresas, de outros ramos. Ou que se há chance de empreender qualquer serviço ou produto voltado ou não para a comunidade, sem que seja necessário aguentar mil tabus e preconceitos. Esperança meus companheiros!!!

E lembre-se, se você foi discriminado por sua orientação sexual ou por qualquer outro motivo, DENUNCIE e nunca se sinta mal por isso, azar da empresa que perdeu um profissional tão capaz!!!!

Beijos, Annakim!

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja