Setembro (Project S S.O.S) Yellow

Setembro (Project S S.O.S) Yellow

Como todos sabem estamos em um dos meses de suma importância e conscientização, Setembro Amarelo. Há milhares de adolescentes/Jovens espalhados no mundo buscando vencer na vida em uma sociedade turbulenta, dentre eles (podemos não ver, mas) há aqueles que enfrentam batalhas internas consigo mesmo e tentam de alguma forma aliviar a dor através de decisões dolorosas até. O que instiga a levá-lo a isso? Na maioria dos casos, fatores básicos podem começar antes, durante e depois da infância, através de pequenos ou grandes atos anormais como Bullying, Problemas Familiares, Traumas Emocionais, Álcool & Drogas, e Depressão.

É necessário ficar atento aos sinais que a pessoa começa apresentar, como mudanças de comportamento e de humor, agressividade, distanciamentos, e principalmente a depressão que é uma das causas mais encontradas hoje em dia. Membros da família, amigos próximos, até mesmo educadores/psicólogos devem agir de imediato e encontrar diversas (repito novamente) DIVERSAS SOLUÇÕES para que a pessoa que esteja passando por isso se desprenda daquilo que o atinge. Ultimamente temos vistos formas incríveis de pessoas que travam batalhas internas através de algum esporte, da música como o KPOP, dança, pinturas, escritas e dentre muitas outras.

Há um tempo atrás eu tinha selecionado da minha wish list drama, uma série tailandesa que faz parte de uma INCRÍVEL franquia (Project S) que em um futuro próximo estarei trazendo para o BLB, no momento iremos focar em apenas um dorama dessa franquia. Assim como eu tinha mencionado acima que há diversas maneiras de uma pessoa se desprender do que o atinge e vencer mentalmente essa batalha interna, como por exemplo, a prática de esportes e é isso que essa série abordará.

Project S Skates Our Souls é uma série tailandesa transmitida entre 09/SET e 25/NOV do ano de 2017 pela emissora GMM 25, contém 8 episódios de 43 minutos de duração cada e está disponível com legenda exclusiva no Pi Fansub. Roteirizado e dirigido por Pat Boonnitipat, que faz parte da franquia Project S: Side by Side, Spike!, e Shoot! I Love You (de Nadao Bangkok).

Boo é um adolescente um tanto incomum, e que leva uma vida sem emoções ou perspectivas do seu dia a dia, ele se ver mergulhado no fundo de um aquário lacrado e preso em seu “próprio mundo” monótono. O que ele esconde de muitos que não percebem, é de como o seu comportamento é totalmente diferente dos seus colegas de classe e de qualquer outra pessoa. Também veremos o quão distante é a relação do pai e as cobranças duras que o garoto recebe, acabam sufocando-o cada vez mais.

Do outro lado teremos Simon, um jovem rebelde e skatista, que vive a vida de plena liberdade e sem regras a serem seguidas, dono de uma loja de equipamentos de skates e acessórios, participa de todos os tipos de eventos e competição que envolve esse esporte radical. Acompanhado sempre por seus dois amigos-irmãos e sua irmã Fern que também adora andar de skate, veremos suas vidas darem voltas e cruzarem o mesmo caminho de Boo. Entre eles veremos o papel crucial da doutora Bell, recém formada e que atua como psicóloga, verá que as coisas nem sempre são do jeito que elas devem ser. Ainda mais quando temos que lidar com pessoas iguais como Boo, o percurso será longo e os desafio serão bem maiores do que ela pensa. Ao que tudo indica é que a doutora Bell já teve uma grande perda em sua vida e isso a faz querer persistir em ajudar aqueles que precisam ser ajudados da maneira certa, a veremos também com um certo embate entre a vida pessoal e profissional.

Lembro-me como se fosse ontem ao pescar esse título da minha wish list drama, e me senti arrebatado ao ver o primeiro episódio e de seus respectivos personagem terem que lidar com o que já lhes proporciona ali mesmo. por mais que eu nunca tivesse passado ou enfrentado tais situações com as do Boo, eu me via cada vez mais preso a ele, pelo simples fato do bom desempenho (do personagem) que foi desenvolvido ao longo dos episódios. Nessa brincadeirinha acabei assistindo tudo em um dia só e ainda queria mais.

O enredo em si acabou mostrando fiel com as características dos personagens e do quão realista foi em cada quadro e diálogos a serem trocados aqui e ali. A verdade é que eu me liguei tanto a essa série que eu passei sentir uma explosão de emoções que eu não sentia já um tempinho atrás, tinha certos momentos (em alguns episódio) que eu pausava para me recompor e dar a continuidade para absorver por completo.

A amizade que é construída, desconstruída e reconstruída, mostra as etapas do amadurecimento de suas vidas e de que na prática nada é fácil, mas quando passamos a persistir em algo de bom para as nossas vidas (assim como cada um deles buscaram incansavelmente). Além do choque de realidade que foi preciso ser tomado em determinado momentos da série. Foi apresentado a relação paterna – de pai para com filho e o processo do desenvolvimento nos conceitos emocionais que se baseavam nos princípios básicos da confiança.

Essa foi a minha primeira resenha como Colunista pela BLB, e espero que tenham gostado. Deixe nos comentário a sua opinião sobre a série caso tenha assistido. Mas se ainda não teve a oportunidade, mergulhe de cabeça nessa produção incrível. Fico por aqui e até a próxima.

Para esse e outros conteúdos exclusivos, não deixe de acompanhar Boys Love Brasil nas redes sociais:

Twitter-Boy |Face-Boy | Insta-Boy | YT-Boy| Tele-Boy | What-Boy

Créditos:

Arte de divulgação: A. Gabriel | Referência: Site MDL, Fonte de Imagens Tags | Revisão: Nathália Costa | Texto: Paulo G. Veloso

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja