Serviços de Streaming vs Conteúdos Asiático

Serviços de Streaming vs Conteúdos Asiático

Desde 2010 (século XXI) pra cá acabamos aderindo diversos conceitos, mudanças de comportamento dentro da sociedade, mudanças climáticas, novos desafios e o avanço da ciência e tecnologia. Atualmente nos encontramos no segundo semestre de 2020, e vários portais de notícias compartilharam suas visões sobre uma guerra sem fim entre os Streamings que já foram anunciados pelo mundo todo, dentre os mais conhecidos: Netflix, Amazon Prime, Apple TV Channels /Plus, Disney+, Hulu, HBO MAX, Globo Play, e diversos outros que se encontram disponíveis lá fora e que um dia hão de chegar ao Brasil. 

Qual será o destino dos planos de TV a cabo e das poucas extintas locadoras de vídeo daqui a alguns anos? 

E onde é que dos Doramas, Filmes & Documentário, e Animação de origem asiática se encaixaria no que foi citado acima?

Simples, ultimamente os seguidores da cultura pop asiática (independente de sua nacionalidade) vêm aderindo diversos conteúdos que engloba a sociedade – pelo forte trabalho árduo das pequenas e grandes empresas, que é apresentado ao consumidor fã, que por sua vez tem um papel de extrema importância, onde podemos encontrar dentre os seguintes (tipos) grupos: Fandom(s), Vlogueiros, Blogueiros, Influencers e Criadores de Conteúdos, que são pontes para mediarem determinados assuntos da cultura x para outras pessoas que tenham curiosidades de conhecer mais de “perto” tais referências, que de um jeito ou de outro desperta interesses pela trajetória histórica, hábitos culturais e tradicionais.

Por isso vim compartilhar sobre os desafios a serem alcançados pelos serviços de streaming em aderir título asiáticos em seus catálogos, vale mencionar que a Netflix aderiu a febre dos doramas/dramas por conter títulos “emprestados” e originais.

Imagem da logomarca Netflix (Divulgação)

Netflix

Por ser um serviço de streaming pioneiro, tudo começou por volta 1997 (coincidência não?), oferecendo um serviço de locadora, com o embalo da internet, os filmes eram alugados através da linha telefônica ou internet, contendo um serviço de entrega a domicílio. Sua ascensão não foi fácil, mas com o passar dos anos ela finalmente conseguiu abrigar filmes e séries em uma biblioteca virtual com a ajuda da internet que evoluiu ao longo dos anos.

Atualmente, é detentora de produções originais, abriga filmes, séries, animações, documentários e reality shows. No auge da febre doramática, a Netflix foi aderindo títulos coreanos, chineses, japoneses e tailandeses. Podemos encontrar um catálogo vasto e rico de dramas coreanos e chineses que fará a wish list de qualquer dorameiro ser concluída em 50%. Infelizmente, uma certa parte do catálogo deixa a desejar por não conter títulos merecedores de Thai-Drama, no gênero BL/LGBTQ+, afinal na Tailândia podemos encontrar diversos títulos desejáveis, que pelo qual o público brasileiro almeja ter. Outros ponto negativo, é o processo da retirada de títulos do seu catálogo. A Netflix Brasil realmente precisa reavaliar os pedidos dos fãs e dar o braço a torcer. Já em relação às animações japonesa, atualmente vêm ganhando grandes destaque em seu catálogo, por conter títulos de ouro em longa metragem e minisséries.

Imagem da logomarca Prime Video (Divulgação)

Amazon Video (Prime)

É um serviço criado e planejado na medida certa, para consumidores brasileiros que gostam de poupar tempo e dinheiro. No início, foi apresentado apenas como Amazon Video, uns tempos depois foi lançado um novo pacote de serviço que mudaria o dia a dia do consumidor – Amazon Prime. Além de por proporcionar série, filmes, animações/desenhos, documentário e reality shows, ele acompanha vantagens exclusivas como: Frete Gratís, Prime Music, Prime Reading, Twitch Prime. O catálogo contém títulos selecionados (reduzidos), podemos encontrar produções coreana, chinesa, japonesa e Indiana. Dentre os clássicos ao mais atuais (infelizmente são títulos superficiais e rasos).

Recentemente, o Prime Video incluiu em seu streaming canais adicionais a parte (Channels): Starzplay, Paramount+, MGM, Looke, Noggin. Não há muito no que falar, mas deixo aqui esse pequeno feedback, infelizmente não encontramos títulos tailandeses do gênero BL/LGBTQ+.

Imagem da logomarca Rakuten Viki (Divulgação)

Viki Rakuten

É o sucessor do extinto Dramafever. Um serviço exclusivo que surgiu em 2007, ganhando força lá em 2010. Ele proporciona aos dorameiros de carteirinha: dramas, filmes e programas de TV legendados da Coreia, China Continental, Taiwan e Japão. O Viki é um streaming com o foco em conteúdos asiáticos, contendo legendas e mais de 200 idiomas disponíveis. O V’ (para os mais íntimos), é muito bem visto por oferecer um sistema operacional prático e ergonômico, assim como outros modelos semelhantes, com a exceção de algumas ferramentas que chegam a possibilitar ao usuário mais interatividade. Seu catálogo é incrivelmente tentador e completo, MAS eles pecam por não disponibilizarem conteúdos tailandeses. Já podemos encontrar gêneros BROMANCE, BL/LGBTQ+ TW-Drama, mas continua sendo raso e escasso aos olhos dos blzeiros. Outro ponto que deixa a desejar é que as legendas são feitas pelos fãs, e não por tradutores profissionais.

Uma Dose de Extra:

O Viki passou a ser o sucessor do Dramafever e isso é um fato. Hoje o V’ é o queridinho dos dorameiros, tendo então grandes referências ao longo dos anos. 

Mas o que levou o triste fim do Dramafever? Afinal ele atuou por quase 10 anos dentro da internet e revolucionou o mercado dos dramas asiáticos, por conter uma vasta biblioteca licenciada de conteúdos coreanos, chineses japoneses, tailandeses e até mesmo australianos (como por exemplo: reality show). Por mais que todos já estejam carecas de saber sobre o ocorrido, precisamos sim desabafar sobre a ascensão e o fim de um streaming que marcou a vida de uma geração no ano 2000’s*. Falaremos sobre ele em um futuro próximo, aguardem!

Imagem da logomarca GagaOOLala (Divulgação)

GagaOOLala:

Podem soltar foguete, que este aqui é espetacular. Se você chegou até aqui, é sinal de que nem tudo está perdido. E por que estaria? Este serviço de streaming é bastante cobiçado pelo público BL/LGBTQ+, pelo simples fato de atender conteúdos exclusivos (na Ásia) para a comunidade. Além de oferecer conteúdo original, há também séries, filmes (longa/curtas) e documentários. Mas sempre mantendo o foco em cinema queer asiático. A plataforma oferece legenda em espanhol, proporcionando mais visibilidade para uma pequena parte do ocidente, e quem sabe mais lá na frente estarão disponibilizando legendas em português aos brasileiros. A plataforma oferece mais de 1000 títulos LGBTQ+ para serem assistidos pelo consumidor.

Tudo começou por meio do Taiwan International Queer Film Festival, que instigou o criador e fundador a criar o GagaOOLala, que foi lançado por volta de 2016 em Taiwan, Entre 2017 e 2019 foi dada a largada da expansão na Ásia. Em 2019, lançaram a GOL STUDIOS, que por sua vez irá auxiliar na produção e distribuição dos título LGBTQ+, abrindo portas e possibilidades aos cineastas que queiram partilhar de suas ideias do papel para o streaming GagaOOLala.

Deixarei aqui uma matéria exclusiva sobre o Streaming GagaOOLala, feito pela colunista Katycia Nunes.

Uma (pequena) Dose de Extra (final):

Não poderia deixar de mencionar sobre os Fansubs, afinal eles tiveram um papel de suma importância para a formação de sites e dorameiros. Composto por grupos de fãs que produzem e distribuem legendas para séries, filmes e programas de TV dos países da Ásia, geralmente eles fazem sem ter a autorização dos criadores da obra e produtores, evitando os licenciamentos.

Não irei muito adiante com isso, por se tratar de uma discussão delicada, afinal teríamos que rever os prós e os contras dos fansubs que se destacaram nos ao longo dos anos.

Essa matéria foi baseada no tema Tech & Entertainment (tecnologia & Entretenimento). Deixe nos comentário a sua opinião sobre o que foi mencionado aqui, e deixo-lhes a seguinte pergunta: Qual serviço de streaming ou plataforma que você costuma consumir conteúdos asiáticos? Fico por aqui e até a próxima.

Para esse e outros conteúdos exclusivos, não deixe de acompanhar a Boys Love Brasil nas redes sociais:

Twitter-Boy | Face-Boy | Insta-Boy | YT-Boy | Tele-Boy | What-Boy

Créditos:

Arte de divulgação: A. Gabriel | Referência: Site dos Serviços de Streaming, Fonte de Imagens dos sites oficiais | Revisão: Kawe Oliveira | Texto: Paulo G. Veloso

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja