Representatividade LGBTQI+ nas animações da Netflix

Representatividade LGBTQI+ nas animações da Netflix

Olá meus bombons de licor, tudo bem com vocês?

Dando continuidade a nossa programação especial do mês do orgulho, hoje nós vamos comentar sobre algumas animações da Netflix que trazem a luz personagens LGBTQI+.

Representatividade LGBTQIA+ em séries de TV populares não é sinônimo apenas de identificação. É também uma importante ferramenta de inspiração para quem tem vergonha de ser o que é, além de fazer os telespectadores entenderem um pouco da realidade das pessoas LGBTQIA+.

Por isso, trouxemos hoje algumas animações que têm personagens LGBTs e estão disponíveis na Netflix, maior serviço de streaming do mundo. Diversidade no elenco, é com a dona Netflix.

Você já assistiu várias animações de diferentes gêneros não é mesmo? Como qualquer um, automaticamente quando conheceu os protagonistas, literalmente, já juntou o herói com a mocinha, acertei não foi? Mas como tudo tem mudado, também mudou a opinião e o pensamento das pessoas sobre esse “clichê”, nos clubes de fãs de gêneros de várias em específicos as animadas, o que antes era: “O mocinho tem que ficar com aquela menina presa na Torre”.

Transformou-se em um: “Aqueles dois protagonistas são tão lindos juntos, ele podia ficar com o melhor amigo, por que não o herói ficar com o vilão e a moça ser independente? Pois é, hoje estamos aqui para falarmos um pouco acerca da representatividade do mundo LGBT+ nos desenhos, levamos enfoque que, não estamos debatendo a influência deles no meio infantil, mas sim, levando a importância de determinados personagens no decorrer e desenrolar de toda a história retratada em tal desenho. 

A explosão de opiniões, NETFLIX !

Muitos sabem do enorme alcance empresário artístico que possui a Netflix, isso deve-se em conta principalmente da interação da empresa com os fãs de seus conteúdos, assim como, a qualidade do mesmo. Em vista disso, vemos um aumento dos personagens LGBT+, tendo até séries animadas protagonizadas por eles, levando em conta o crescente número de pessoas que descobrem sua verdadeira sexualidade e quando abrem o serviço de vídeos, conseguem ver um herói com uma história parecida.

Voltando ao foco da matéria, falaremos agora de algumas animações da própria empresa com personagens LGBT+, que são protagonistas ou tem papéis importantes no desenrolar da história. Levaremos em consideração três animações: Super Drags, O Príncipe Dragão e The Hollow. 

• Super Drags, a série que enaltece o Universo LGBT+. 

Como falar de representatividade sem falar dessa série que, por mais que seja um desenho, é para maiores de 16 anos. 

A série vai levar em conta questões sobre bullying, respeito, heroísmo, religiosidade e amor, coisas bem frequentes principalmente em pessoas que ainda não assumiram sua sexualidade. Ela nos leva em um mundo onde os jovens Patrick, Donny e Ramon, serão as parcelas mais nítidas do universo LGBT, no qual representam os jovens que não possuem apoio da família, os que não se aceitam como são, os que são sozinhos e não levam desaforo pra casa, cujo os vilões serão seus medos, suas famílias e a própria sociedade. A série por mais que foi cancelada a sua continuação deixou marcas notórias na sociedade, como principalmente o poder representativo de uma Drag, alguém cujo o objetivo é espalhar o amor, o respeito e a música para mudar a opinião de pessoas arcaicas que não respeitam a vida do próximo. Sim, os protagonistas desse universo são bem divertidos e além de levar assunto como o respeito, eles também nos trazem a ideia do que há um bom laço familiar, e que problemas como a obesidade, estereótipos da mídia e afronta, podem ser tratados com amigos e uma dose de boa música e Glitter. 

• A importância dos laços familiares, O Príncipe Dragão!

Vamos falar sobre essa maravilhosa história que, conta com um grande acervo de personagens importantes, não os protagonistas não são LGBT, mas a história não desenrolaria sem os personagens secundários, familiares, uma rainha jovem com duas mães que morreram em guerra, um príncipe cuja a tia acaba se apaixonando por uma 

Elfa do Sol, uma Elfa assassina liderada por um Elfo da Lua, esposo do elfo que a criou. 

Se você procura um drama para assistir, acabou de achar, os personagens principais masculinos, Callum e Ezran sobrinhos de Amaya que ao que tudo indica fará um par com a Elfa Janai, isso é o que os fãs querem. Voltando ao assunto pautado, não é de hoje que o movimento LGBT+ luta por um espaço, e sim, eles vem conseguindo, o papel demonstrado pela família nessa série é de grande importância e que, sem spoilers, acaba salvando a vida dos protagonistas. Se olhássemos de maneira real, seria muito mais fácil para a sociedade ter uma noção do indivíduo e sua sexualidade se todas as famílias possuíssem um entendimento melhor sobre os temas. A animação nos transmite um orgulho, literalmente diz respeito às guerras de uma pessoa que não é padrão da sociedade, que busca sua felicidade por si mesmo sendo quem realmente é. 

• The Hollow, o protagonismo gay!

A recente 2ª temporada nos trouxe uma revelação, o personagem principal Adam disse em alto e bom som: – Eu sou gay. 

  E o que muda na série? Nada, desde o começo ele foi um personagem forte e continua sendo, agora mais ainda, pois está demonstrando a força dos LGBT+ e nossa sociedade deveria olhar por esse lado. 

Então, você que tem medo do que é, não tenha, orgulhe-se, se precisa de base existem tantos personagens fictícios quanto reais para ver o quão forte a pessoa é por ser ela mesma. Devemos ter sempre a nossa opinião formada sobre algo, essa matéria foi para demonstrar histórias que são voltadas à pessoas, sim, elas não tem um gênero específico, todos também não deveriam ter um pensamento específico, essas animações são criações de base sólida de um universo cheio de heróis, ter uma mente com respeito mútuo ainda é a melhor convivência. Espero que tenham entendido, nossos desenhos de quando éramos crianças no qual queríamos ser os heróis, não mudou porque crescemos, não mudou por descobrirmos quem somos e o que queremos, conforme nós mudamos, a sociedade tem que mudar também. 

Seja quem você é, orgulhe-se, pois afinal os heróis sempre se orgulham de seus feitos.  

Bom meus bombons, se vocês não conhecem as animações citadas confiram no catálogo da Netflix pois vale muito a pena. Por hoje eu só   beijos e até a próxima!

E lembre-se, ame quem você é!

Matéria por: João Victor e Laysa Costa

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja