Representatividade gorda e bissexual: Leah fora de sintonia

Representatividade gorda e bissexual: Leah fora de sintonia

Olá meus bombons de licor, tudo bem com vocês?

Hoje nós vamos falar sobre o livro “Leah fora de sintonia”, um spin-off do romance gay de sucesso Simon vs. a Agenda Homo Sapiens ou Com Amor, Simon da Becky Albertalli. — Que é bissexual, vale ressaltar!

O livro se passa um ano após o término da história de Simon e foca na vida de sua melhor amiga, Leah, que ultimamente tem se sentindo meio fora de sintonia, especialmente quando não consegue tirar uma certa garota da cabeça.

Sinopse: Leah odeia demonstrações públicas de afeto. Odeia clichês adolescentes. Odeia quem odeia Harry Potter. Odeia o novo namorado da mãe. Odeia pessoas fofas e felizes. Ela odeia muitas coisas e não tem o menor problema em expor suas opiniões. Mas, ultimamente, ela tem se sentido estranha, como se algo em sua vida estivesse fora de sintonia. No último ano do colégio, em poucas semanas vai ter que se despedir dos amigos, da mãe, da banda em que toca bateria, de tudo que conhece. E, para completar, seus amigos não fazem ideia de que ela pode estar apaixonada por alguém que até então odiava, uma garota que não sai de sua cabeça. Nesta sequência do sucesso Com Amor, Simon, vamos mergulhar na vida e nas dúvidas da melhor amiga de Simon Spier. Em um livro só dela, mas com participações mais do que especiais dos personagens do primeiro livro, vamos acompanhar Leah em sua luta para se encontrar e saber com quem dividir suas verdades e seus sentimentos mais profundos. Em Leah fora de sintonia, Becky Albertalli mostra por que é uma das vozes mais importantes e necessárias de sua geração. Sem nunca soar didática, a escritora lança mão dos mesmos ingredientes que tornaram Com Amor, Simon um sucesso mundial: a leveza, o senso de humor, a representatividade e a certeza de que vale a pena contar histórias sobre jovens que podem até estar perdidos, mas estão determinados a encontrar seu caminho.

A trama do livro se inicia com poucos meses para o fim do ensino médio/busca de uma faculdade, quando todo o grupo de amigos que conhecemos no primeiro livro, Com amor Simon, precisa lidar com a separação.

Mas tudo começa a se complicar quando ela se vê cada vez mais próxima de Abby, a namorada do seu melhor amigo hétero, Nick. Contudo, Leah não consegue tirar a garota da cabeça, especialmente conforme elas vão se aproximando mais e mais. Além de tudo isso, Leah também se vê enrolada com o fato de ser bissexual e nunca ter contado aos seus amigos, além de suas inseguranças que constantemente fazem-na acreditar que ela não importa no grupo de amigos, na escola, e também na sua relação com sua mãe.

Ainda que a história seja escrita de maneira muito agradável e leve, é impossível você não desenvolver uma certa raiva pela Leah. Sinceramente eu tinha muita esperança nesse livro, por diversos pontos, primeiro por ser a continuação de um livro que eu amo demais que é Com amor Simon, e segundo por ser uma protagonista gorda e bissexual, algo que é pouco visto e muito necessário. — Precisamos de protagonistas bissexuais!

Eu não me lembro da personagem ser tão insensível, ácida e chata
em Com Amor, Simon. A personagem tem seus problemas e entendo isso — até compreendo muito bem! — mas a menina reclama literalmente de tudo que acontece ao seu redor. Ela nunca fica satisfeita, ela nunca fica feliz, não importa o quanto as pessoas ao seu redor se preocupem com ela. Chega um ponto que a leitura fica realmente difícil, porque Leah se coloca no papel de vítima 100% do tempo e não faz nada pra mudar esse cenário.

Indico a leitura para aqueles que se apaixonaram por “Com amor, Simon” e que querem permanecer nesse universo criado pela Becky Albertalli. Mas, deixando claro, não é um dos meus livros favoritos e eu não o leria novamente. A história tem uma boa narrativa, mas não é bem estruturada, eu suponho que, diferente de seu antecedente, não foi bem explicada é tudo muito vazio.

Bom meus bombons, por hoje é só. Beijos e até a próxima!

Compartilhar esta publicação

Comentário (1)

  • Avatar
    agabriel90 Resposta

    Nossa, e eu jurava que já tinha lido esse livro. Mas pelo lido, não. Hahahaha… já o colocarei no topo da lista de leitura, apesar de também não gostar de personagens que se vitimizão a estória toda, gosto muito da perspectiva de que a estória me incomodará, e buscarei tirar algum ensinamento com isso.

    23/09/2020 at 00:06

Comente e deixe a gente Feliz


%d blogueiros gostam disto:
Optimized with PageSpeed Ninja