Não há cura para o que não é doença

Não há cura para o que não é doença

Olá, meus unicórnios, tudo bom?

  Dando continuidade às matérias do mês do Orgulho, hoje vamos falar de um assunto que, infelizmente, é bem presente em vários lugares: “cura gay”. Usando dois filmes que, apesar de abordarem o mesmo assunto, transmitem diferentes emoções. “Boy Erased” e “O mau exemplo de Cameron Post” mostram essa realidade, de forma que podemos sentir o que os atores querem transmitir. Prontos?

– O mau exemplo de Cameron Post

Sinopse: O ano é 1993 e a jovem Cameron Post (Chloe Grace Moretz) tem uma banda de rock quase completamente feminina para ouvir (The Breeders) e um romance sapatão bem caloroso (Corações Desertos) para ajudar no clima com Coley (Quinn Shephard), sua colega de estudos bíblicos. As garotas só querem se divertir, mas diversão é inimiga da fé e Cameron acaba internada num acampamento de conversão após ser flagrada com a parceira. (Fonte: Adoro cinema)

Duração: 1h31min   Lançamento: 18 de abril de 2019   Gênero: Drama

Diferente de Boy Erased, na Promessa Divina funcionava como um lugar, onde os pacientes só poderiam voltar pra casa apenas se a diretora ou os pais permitissem, então era basicamente um reformatório, só que sem muros, eles poderiam ter acesso a floresta. Era algo, de certa forma, voluntário, mas por serem adolescentes, eles acabam não podendo mais sair e mesmo que pudessem, não teriam para onde ir.

Cameron não queria ficar no local, mas como ela mesma não se rotulava como lésbica, talvez por não se entender ainda, levando em conta que frequentava a igreja, ela apenas tentava seguir o que diziam. Todos estavam tentando.

Alguns realmente queriam acreditar que existia uma cura, por não saberem quem são e por, diariamente, ouvirem que estavam errados, que o passado tinha feitos eles acreditarem que não eram héteros. O que é completamente ridículo, mas não tinham apoio familiar e isso só deixava o psicológico deles mais danificado e com mais dúvidas. Cameron, mesmo tentando se encaixar, sabia que tinha algo errado, só que ela achava ser nela também ao dizer em uma cena do filme que estava cansada de sentir nojo dela mesma. E isso era o que a clínica provocava neles e eles só poderiam sair de lá quando os diretores e os responsáveis percebessem que estavam totalmente “curados”.

– Boy Erased: Uma verdade anulada

Sinopse: O jovem Jared Eamons, de apenas 19 anos, mora em uma pequena cidade conservadora do Arkansas. Ele é gay e filho de um pastor da Igreja Batista. Em um certo momento de sua vida, Jared é confrontado pela família e precisa escolher entre arriscar perdê-la ou entrar em um programa de terapia que busca tentar “curar” sua homossexualidade. (Fonte: Papo de cinema).

Boy erased, além de também ser um livro, é baseada em fatos reais da vida do escritor e advogado Garrard Conley, onde ele conta suas experiências em ter crescido numa igreja, seus traumas da faculdade e sua convivência nesse centro de terapia.

Duração: 1h55min Lançamento: 2018 (EUA) e 2019 (Brasil)  Gênero: Biografia, Drama

A clínica “Amor em ação” era vista como um programa de apoio ou, simplificando, uma espécie de igreja, as pessoas tinham horário de entrada e saída, e seus pais não podiam saber os métodos que usavam. Os pacientes não podiam falar a forma como eram tratados e nem o tipo de tratamento psicológico que recebiam, apesar de ser uma clínica voluntária.

Nessa já tinha adultos. O discurso, por mais absurdo, era convincente a ponto de fazer acreditar que sua sexualidade estava sim errada

Havia casas também, pros que ficavam mais tempo, era basicamente “você só volta pra sua casa se virar hétero”. Para alguns, era melhor ouvir que sua sexualidade estava errada e você é um vaso quebrado do que aturar sua família fazendo coisas piores, como agressão física. O programa funcionava como avaliação e o diretor, Sr. Sykes, decidia se os pacientes seriam praticamente internados ou estavam aptos a voltar pra casa.

Jared era filho de pastor, jogador de basquete e tinha uma namorada que também era da sua igreja. Mas ele sabia que tinha algo errado, o problema é que Jared achava que ele era o erro.

O início sempre parece mais fácil, pois era uma oportunidade para voltar a ser o orgulho dos pais. Porém, com o tempo, ele foi percebendo nos pequenos detalhes que o objetivo do programa não era ajudar, isso estava os afetando psicologicamente e Jared sabia disso.

Como já eram mais velhos, o diretor os fazia ler uma confissão chamada de inventário, onde falavam o que fizeram com pessoas do mesmo sexo, sobre seus pensamentos e pediam perdão por isso. No caso de Jared, ele nunca havia feito nada, mas tinha pontos sensíveis na sua história que, ao longo do tempo, deixaram de ser confusões para se tornarem certezas. Ele era gay e começou a notar que não importava o que tentassem, não iria deixar de ser.

Uma das frases marcantes do filme é a que ele diz ao seu pai, porque não aguentava mais o ver evitá-lo.

“Não irei mudar, não existe nada para mudar”

O verdadeiro Victor Sykes, diretor da instituição, deixou o “Amor em ação” em 2008, e atualmente vive com seu marido no Texas

Até então, 36 estados do EUA ainda permitem a prática legal da terapia de reorientação sexual em menores de idade. Afetando mais de 700 mil LGBTQIA+ americanos

Em ambos os filmes, os pacientes precisavam fazer um iceberg ou um genograma (tipo uma árvore genealógica, mas acrescentando o tipo de comportamento de cada membro da família), que era como um mapa sobre sua vida. Os diretores achavam que, dessa forma, conseguiriam chegar no ponto que fez a pessoa “achar” que gostava de pessoas do mesmo sexo.

Boy Erased é um filme que iria pro cinema aqui no Brasil, no dia 31 de janeiro de 2019, mas dias antes saiu o anúncio que não iria mais. Tanto a empresa, quanto os demais, não deram uma justificativa plausível para a decisão. O argumento foi que o filme não alcançaria a meta de bilheteria, mas todos temos quase 100% do real motivo: censura. Porque se trata de uma situação ainda muito presente e que várias igrejas, inclusive fazem, mesmo sendo crime, através de pregações ou eventos com palestras com o foco de embutir a ideia de que deus te odiará se continuar sendo quem você é. Uma das cenas mais marcantes do filme é que eles simulam realmente um culto, onde um garoto, Cameron, havia caído em seu “pecado” novamente e eles iriam “purificar” ele. Sugiro preparem o coração, porque eu mesma chorei muito,

Infelizmente, práticas assim ainda são muito frequentes, em alguns países mais que outros. Mesmo nos que são crimes.

No dia 13 de junho de 2019, após longas sessões no STF, foi reconhecida a LGBTFOBIA como crime que se enquadra na categoria de racismo. Sendo assim, atitudes homofóbicas e transfóbicas passam a ser crimes, de acordo com a lei 7.716/1989, até que o congresso legisle sobre o tema.

Oito ministros decidiram punir preconceitos e discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero. Porém, a igreja ainda tem liberdade para falar o que considera certo ou errado, segundo a bíblia, contanto que não utilizem discursos de ódio ou que incitem discriminação/violência contra pessoas, tendo como motivação sua orientação sexual ou sua identidade de gênero.

Em outros países também é crime a homofobia, mas as leis não são as mais rígidas. Por exemplo, na Suíça, se você quiser usar discursos preconceituosos, como dentro do seu grupo da igreja, não há problema (segundo eles), só é crime se tornar sua opinião pública.

Por fim, queria dizer a você que leu até aqui que se estiver passando por situações, onde tentam te fazer achar que sua sexualidade está errada e o problema é você, acredite em mim, não é e não estás sozinho. Nós somos uma família, lembre-se disso.

Bom, meus amores, por hoje é só, não esqueçam de seguir a BLB em todas as redes sociais e ficar por dentro das novidades. Beijos.

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Vitória

Adorei conhecer o filme


1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja