Mundo B: indicação de conteúdos bissexuais!

Mundo B: indicação de conteúdos bissexuais!

Olá meus bombons de licor, tudo bem com vocês?

Aproveitando que ainda estamos no mês da visibilidade bissexual, hoje eu trouxe algumas indicações de conteúdos bissexuais, para você se sentir bem representado (a), nesses mês no qual nos lutamos pela nossa visibilidade e pelo fim desses estereótipos. Vai ter Podcast, Canais no YouTube, Livro, músicas e mais. Continuem lendo!

— Biscoito Podcast

O Biscoito Podcast estreou em abril de 2019 e hoje já conta com mais de 30 episódios. Apresentado pelos humoristas, Gui Neves, Babu Carreira e pela jornalista Tatiany Leite.

Todos assumidamente e orgulhosamente bissexuais, contam suas diferenças vivenciais e recortes da bissexualidade em suas vidas. É muito interessante ouvi-los, pois cada um deles tem experiência e levam a vida de formas muito distintas. Desta forma nós temos muitas situações, e exemplos. Fazendo com que diferentes pessoas, se identifiquem e reajam junto a eles. Além desse trio maravilhoso, eles recebem convidados muito especiais, tais como: Luiza Junqueira, Lia Clark, Regina Facchini e muitos mais.

Vou deixar aqui o link do último episódio do Podcast no Spotify, mas eles estão em diversas plataformas!

— Transdiário

O canal no YouTube Transdiário, é apresentado pelo publicitário e YouTuber Luca Almeida Scarpelli Diniz. O Luca é um homem trans e bissexual, o canal dele é muito interessante, ele fala sobre experiências pessoais, sua transição e muito mais. Vou deixar o link do canal aqui, se inscrevam e acompanhem o Luca!

https://www.youtube.com/c/TRANSDIÁRIO

Obs: O Luca já foi no biscoito Podcast, junto com o nosso trio e a Ellora Haome, onde ele falou um pouco sobre como é ser um homem transexual e bissexual. Confiram, vale muito a pena!

— Tá querida!

O “Tá querida!” é um canal no YouTube comandado pela Luiza Junqueira, um mulher gorda e bissexual. No seu canal ela fala sobre autoestima, empoderamento, maquiagem, dicas de comida e também realiza alguns vlogs nos quais fala um pouquinho mais sobre sua vivência. Importante comentar que, a Luiza também já foi no Biscoito Podcast, onde falou mais sobre a descoberta da sua orientação sexual e como ela lidou com tal.

Vou deixar aqui o link do canal dessa rainha!

https://www.youtube.com/c/TáQueridan

— O caso da mansão Böüen

O livro “O caso da mansão Böüen” tem uma pegada de aventura. Uma das personagens é bissexual pois passa por um processo de insegurança e descobrimento no decorrer do livro. Apesar de ter um romance, este não é o foco da trama. Mesmo assim, eu indico demais a leitura. Confiram a sinopse.

Sinopse: Edgar Cantero narra o que aconteceu com um grupo de jovens detetives que, treze anos antes, desvendaram um mistério que envolvia uma casa mal-assombrada e um homem fantasiado de salamandra. Andy, a valentona que vive de bicos, tem problemas com a polícia e está tentando lidar com a sua sexualidade. O mistério não foi solucionado e por isso, ela reúne o grupo que foi dissolvido pelo tempo: Nate, um nerd obcecado por ocultismo que foge de um hospital psiquiátrico e tem visões com Peter, o colega detetive que virou astro de Hollywood e morreu de overdose; Kerri, uma bióloga alcoólatra que trabalha como garçonete; Tim, descendente do cão superdotado que fazia parte da trupe original.
Em uma narrativa que já foi definida como “Scooby-Doo encontra Buffy”, essa comédia de horror, segundo romance de Cantero lançado nos Estados Unidos, entrou para a lista de mais vendidos do The New York Times. A posição é merecida, já que premia não só a habilidade do escritor de criar mistérios de horror cósmico, como também a sensibilidade para desvendar a relação entre jovens que não encontraram no futuro o que esperavam. Juntos, os personagens precisam lidar com forças sobrenaturais ao mesmo tempo que enfrentam seus próprios fantasmas do passado. Na história, seres estranhos podem até assustar, mas não conseguem ofuscar a força de uma verdadeira amizade.

— Girl’s/Girl’s/Boys

“O amor não é uma escolha”, canta Brendon Urie, da banda Panic! At the Disco, em “Girls/Girls/Boys”. A letra que fala sobre bissexualidade, rendeu brigas com a igreja cristã extremista dos EUA. Fiéis homofóbicos convocaram protesto em julho de 2014, ano no qual a música foi lançada. O cantor foi esperto: prometeu doar US$ 20 a uma organização LGBTQIA+ a cada fundamentalista que aparecesse. O protesto ficou vazio. “Espero que a banda leve luz ao tema da aceitação”, diz, em entrevista ao G1 antes de um show que eles realizaram no Brasil.

Confiram a música aqui:

Bom meus bombons, por hoje é só. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima!

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja