GagaOOLala: a primeira plataforma de streaming LGBTQIA+ ganha licença global

GagaOOLala: a primeira plataforma de streaming LGBTQIA+ ganha licença global

Você conhece a GagaOOLala? Com certeza não! Nem a gente. Mas isso está com os dias contatos (ainda bem)!
Fruto e uma iniciativa incrível de Jay Lin, ativista LGBTQIA+, cofundador do Festival Internacional de Cinema Queer de Taiwan (TIQFF) e CEO da Portico Media, a plataforma GagaOOLala é o primeiro serviço de streaming com conteúdo exclusivamente LGBTQIA+.

CLIQUE AQUI para ler a entrevista completa com Jay Lin (em inglês).
O projeto começou há quatro anos, quando Jay Lin e sua equipe iniciaram um mapeamento meticuloso sobre os conteúdos LGBTQIA+ produzidos e que não encontravam espaço na mídia tradicional, fosse por questões de investimento, culturais ou políticas. Foi assim que nasceu a ideia de estruturar um serviço de streaming pago, como tantos no mercado atualmente, mas que pudesse divulgar, disseminar e disponibilizar essas obras e produções para quem quiser.
Incrível, não é mesmo? O mais incrível é que o projeto iniciou com lançamento cuidadoso, região a região, começando com Taiwan, depois Hong Kong / Macau e sudeste da Ásia. Foi apenas em junho de 2019 que conquistou o sul da Ásia.

DA ÁSIA PARA O MUNDO
Em 2019, GagaOOLala ganhou licença global. Dessa forma, o projeto começou uma nova etapa: conhecer os mercados fora do sul asiático, fazer novas e mais amplas parcerias de conteúdo, travar conhecimento e contar com apoio de comunidades LGBTQIA+ ao redor do mundo para levar a plataforma para todos!

divulgação

Dá até arrepio na espinha de tanta emoção, pessoal! GagaOOLala é o primeiro serviço OTT de Taiwan a se tornar global e ganhar o mundo, com a missão de mostrar ao planeta o diversificado conteúdo plural da Ásia.
Segundo Jay, GagaOOLala não é, nem será uma plataforma de distribuição massiva de conteúdo, como Netflix, Amazon Prime e similares. Nem tem essa pretensão, ao contrário. Essas plataformas massivas oferecem muito mais títulos, abrangem muito mais gêneros diferentes e continuarão sendo o serviço de streaming para todos, incluindo a comunidade LGBTQIA+.
Jay acredita que, quando as pessoas – provavelmente da comunidade ou fãs de BL – descobrirem GagaOOLala, poderão considerar adicionar o serviço como um complemento ao que já assinam. Faz super sentido (e parece um sonho prestes a se tornar realidade). Para o público da Netflix, ou outros streamings massivos, que quer assistir um conteúdo asiático com temas queer, em vez dos dramas asiáticos comuns, terão GagaOOLala como referência e oportunidade.

O LADO BOM DA COVID-19
O momento de mundo, e o confinamento ao qual fomos (e ainda somos) obrigados, não somente acelerou mudanças tecnológicas, mas também criou uma necessidade de migração para o virtual.
A necessidade faz a oportunidade e, a quarentena nos permitiu mudar hábitos, nos obrigou a encarar alguns preconceitos sociais e disseminou conteúdo, informações e entretenimento que, antes, eram completamente nichados. Afinal, quem não passou pelo momento “surto psicótico” de não ter nada de bom para assistir no Netflix? (E fica aqui um comentário: no último estudo feito pela plataforma, as pessoas consomem, em média, somente 2% dos conteúdos disponibilizados).
O confinamento e a crise global de saúde impactaram definitivamente nossa forma de ver e de estar no mundo. Nesse cenário, GagaOOLala apresenta-se como uma fonte adicional de conteúdo divertido e instigante, que nos ajuda a superar tédio, ansiedade e isolamento.
E isso pode ser especialmente verdade para a comunidade LGBTQIA+, pois muitos podem viver sozinhos, sem os membros de sua família, por motivos de trabalho, estudo, ou somente pela necessidade de ter o seu “canto”.
Além disso, muitos eventos e estabelecimentos de sustentação LGBTQIA+ e outros meios de comunicação social, como festivais de cinema e desfiles de orgulho, etc., foram essencialmente adiados ou cancelados em 2020.

COMO FUNCIONA? POSSO ASSINAR?
Já sei que ficou SUPER curioso para ver e conhecer GagaOOLala, não é? Bom, eu também, por isso, quem avisa amigo é. Preparem-se para a frustração inicial, meus caros, porque a plataforma funciona, tem vários conteúdos com opção de legendas em inglês, você pode (e deve) se cadastrar com a conta básica que é de graça, porém:
1. A conta free dá acesso a pouco conteúdo da plataforma. Em sua maioria, os primeiros capítulos das séries e trailers de filmes (o que já é mais que o Netflix, vamos combinar).
2. A grande parte do conteúdo está na língua original sem legenda, ou seja, a menos que você saiba Tailandês, Chinês, Coreano, Japonês, etc., não vai conseguir entender nada!
3. Para acessar o conteúdo completo é preciso pagar um valor único de assinatura de US$ 4,99 por mês, via PayPal (se você não tem, corre pra fazer o seu cadastro no PayPal, krub!).
Se a gente for pensar em termos de valor real, US$ 4,99 não é muito, pessoal. Contudo, não significa que é viável para todo mundo.

divulgação

Sobre as legendas, quando têm, são em inglês. Mas isso também muda aos poucos. Quem acompanhou a abertura de mercado do Netflix sabe que é um processo um pouco demorado. Inclusive, vários filmes e séries da Netflix asiática e europeia não estão disponíveis para nós ainda, por conta de contrato. Porém, hoje, temos muitas opções no nosso idioma, inclusive de séries asiáticas. É questão de tempo mesmo, e muita paciência. Quem sabe um movimento de sugerir títulos BLs nas redes sociais da Netflix Brasil?
Eu, se fosse você, já faria meu cadastro gratuito na plataforma, e já dava uma olhada para saber como funciona, o que tem de bom, o que precisa para assinar, como pedir informação se precisar, essas coisas básicas. Vai chegar um momento em que entrar no mercado brasileiro será um objetivo. E não vai querer ficar de fora, né?
Mas o que eu quero deixar de recado final é que o caminho está aberto, as mudanças estão acontecendo e, muito em breve, teremos mais uma fonte para consumir conteúdo de qualidade e que nos interessa e representa.
Quando vejo iniciativas como essa dando certo, mais vontade eu tenho de contar para todos que há, sim, uma esperança de igualdade, ainda que futura. E, no que depender de mim, faria tudo ao meu alcance para divulgar e fazer parte disso. E você?

Compartilhar esta publicação

Comentários (1)

  • Avatar
    A. GABRIEL Resposta

    AIN Maravilhoso, achei tão legal, Espero que fique muito famoso aqui no Brasil e seja disponibilizado muito conteúdo com legenda em Português. 😍

    30/07/2020 at 16:35
  • Avatar
    Camila Vani Resposta

    Achei uma iniciativa maravilhosa, estão começando muito bem e já sei que o desenvolvimento será ainda melhor. Agradeço pela matéria, nem sabia de uma dádiva dessas.

    30/07/2020 at 17:59

Comente e deixe a gente Feliz


%d blogueiros gostam disto:
Optimized with PageSpeed Ninja