Dear Ex – O ódio é mais leal do que o amor??

Dear Ex – O ódio é mais leal do que o amor??

Hellouuuu!! Sentiram minha falta?? Provavelmente vocês nem perceberam que eu não estava mais na BLB (chorando), mas eu senti saudade e isso que importa. Eu estou aqui hoje para ajudar a equipe com o projeto Mês do Orgulho, que surgiu em 2019 com o intuito de comemorar o mês do Orgulho LGBTQ+. Então, durante todo o esse mês teremos matérias especiais por aqui.

Com o fim dessa introdução não tão pequena, vamos ao que realmente importa… No ano passado, eu assisti o filme taiwanês Dear Ex (Querido Ex) e posso dizer sem gaguejar que é um dos melhores filmes com a temática LGBT que assisti. Dear Ex parece ser aquele típico filme sobre escolhas, sobre um homem lutar consigo mesmo para decidir se seguirá os padrões da sociedade ou irá em busca do amor.

Mas na verdade esse filme nos entrega muito mais, ele mostra o lado da pessoa que é abandonada, e espera “dez mil anos” pelo retorno de seu amado. E depois se torna o amante, porque seu parceiro prefere uma vida padrão imposta por outros. Mas também mostra o lado daquela que sempre chamamos de bruxa, ou seja a esposa.

A mulher que amou um homem, que nunca poderia amá-la de volta com a mesma intensidade e que é traída e depois abandonada. Mas que prefere ser tachada como cruel, ser acusada e humilhada pelo próprio filho, apenas para que ele possa ter uma vida decente.

E por último vemos a dor e raiva de um adolescente rebelde que tenta conhecer e entender o próprio pai e para isso decide fugir de casa e ir morar com a pessoa que ficou ao lado do seu pai até os últimos minutos.

Dear Ex interliga a vida de Jay (o amante), Liu San (a esposa) e Song Cheng (o filho) que acabam tendo uma relação especial depois da morte de Song Zheng. Quando digo relação especial quero dizer uma relação bem louca que começa com muita gritaria, uma dose de vergonha alheia e falta de senso, mas que com o tempo essas três pessoas passam a respeitar uma a outra. 

A história é narrada por Song Cheng, no começo ele pode parecer um garoto rebelde que odeia a própria mãe, mas depois percebemos que ele é apenas uma criança que quer conhecer todos os lados das pessoas que seu pai amou. E também tentar entender o porquê ele não quis compartilhar com sua família a dor de seus últimos dias.

Quando foge pra casa do Jay, primeiro ele pensa que o amante só queria o dinheiro do seu pai, mas quando vê as dificuldades que os dois passaram juntos, Song Cheng entende o tamanho do amor do Jay por Zheng e assim acaba criando respeito e admiração pelo seu padrasto. 

Já a relação com sua mãe era complicada, mas do meu ponto de vista nada de diferente das relações mães e filhos. Liu San se tornou uma mulher amargurada quando Zheng a abandonou, todo a vida que eles tiveram juntos parecia uma grande mentira.

Liu San podia ser uma mulher escandalosa e chorona, mas durante todo filme eu conseguia sentir uma empatia enorme por ela. Mesmo nos momentos mais humilhantes, Liu San se manteve forte apenas para diminuir a dor de seu filho. Se você me perguntar se ela estava sempre certa a resposta vai ser não

Mas esse filme não é para nos mostrar vilões ou apontar o dedo para as pessoas, mas sim, para nos fazer enxergar que toda história tem vários lados.  E que se nos abrimos e deixarmos os preconceitos de lado, podemos mudar nossa opinião sobre as pessoas e vamos parar e acabar com o preconceito.

E só quando jogamos fora toda essa bagagem, podemos finalmente viver mais leve e feliz com as pessoas que amamos. Espero que vocês também possam abrir a mente e o coração como os personagens de Dear Ex…

                                                                              um até logo da  Kitty…   

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Vitória

ESSE FILME É PERFEITOOO. UM DOS MEUS FAVS. O ROY CHIU É UM EXCELENTE ATOR, MARRY ME OR NOT É UM C-DRAMA PERFEITO COM ELE.


1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja