BL brasileiro? A busca pela identidade em produções brasileiras

BL brasileiro? A busca pela identidade em produções brasileiras

Diferente da Ásia que consolida um estilo narrativo e dramatúrgico, o Brasil ainda busca um estilo e identidade em suas produções voltadas para o público LGBT.

Podemos chamar produções dirigidas para o público LGBT, ou predominantemente masculino, de BL? Essa é uma dúvida que passa pela cabeça de alguns produtores brasileiros de conteúdo inclinado para esse mercado ao querer definir suas produções, mas não, não podemos.  O motivo é simples, apesar de todos contarem histórias de boys love, (o que é muito abrangente), BL é algo relacionado a cultura em que está inserido e ao modo como isso afeta e constrói toda a narrativa de uma produção.

Não é possível adaptar uma novel ou um remake de alguma produção diretamente da Ásia porque isso faz parte da personalidade daquele continente, mas isso não significa que aqui em terras brasileiras algo não tenha sido feito. Sim, temos produções que retratam o amor entre homens e isso é um grande avanço.

Com todo histórico de violência contra os LGBTs, debater o amor, amizade, todo e qualquer tipo de relacionamento parece ser fundamental para a criação de uma sociedade mais justa com um diálogo mais aberto e receptivo a assuntos a até algum tempo atrás considerados tabus. Diferentes de histórias orientais que apresentam uma visão mais humana e sentimental ao expor seus dilemas pessoais, as produções voltadas para o público que consome esse conteúdo no Brasil sempre prezaram por cenas de conotação sexual, com linguagem até então, vulgar e com uma estética pobre e próxima de nossa maior referência televisiva: as telenovelas.

Mas isso tem mudado cada dia mais, novos produtos foram aparecendo em nosso mercado e através disso, o canal Meu Sobrenome é Vida focou na criação de produtos com cara de séries, voltado para um mercado além de nossas fronteiras. De linguagem simples, mas com histórias universais, a proposta do canal é criar cada vez mais produções com cara de “série” brasileira, mas isso se mostra um desafio e tanto, já que nossas maiores referências por muito tempo vieram dos EUA, com uma vida longe de nossa realidade tupiniquim e isso minimizou o que seria algo de qualidade, já que a terra do Tio Sam é o maior exportador desse tipo de conteúdo. Com o advento dos BL’s asiáticos, o Brasil percebeu que tem um caminho a percorrer, onde contrastes entre os dois continentes simplesmente os unem, já que ambos passam por uma grande evolução estrutural, econômica e pessoal. São outros tempos e uma nova referência como estímulo chegou por aqui.

Apesar de similaridades de histórias e sentimentos, o Brasil precisa buscar um caminho palpável que o denomine, assim como o BL é algo tipicamente oriental, o Brasil precisa de uma identidade mais apurada e uma nomenclatura ideal para suas produções que vá além de “série gay brasileira”.  Vivemos um momento de transição e o Brasil em breve terá cada vez mais produções e um mercado ativo para essas produções, mas que nome dar? Diga – me você.

Estamos crescendo e precisamos da sua opinião, para que possamos produzir cada vez mais e com nossa cara. Qual será, isso é você que dirá.

Espero vocês na próxima semana e não deixem de assistir aqui no site BLB, os episódios de Fica Comigo, antes de todo mundo. Sempre às terças feiras às 20h30.

“ Matéria representa a opinião da coluna semanal dos diretores do canal Meu Sobrenome é Vida”

Para saber mais sobre nossas produções, fique atento ao nosso Instagram e não deixe de ver as outras séries do canal, lá no Youtube.

Instagram: https://www.instagram.com/meusobrenomevida/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCoBl-FPuz9cKrccAqHA-g9Q

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja