Ascenção & Cessação do DramaFever

Ascenção & Cessação do DramaFever

Imagem do banco de dados da Warner Bros | Reprodução

Não podemos adiar mais esse assunto, precisamos deixar tudo esclarecido entre um serviço de streaming que fez a sua própria história no mercado e conquistou os corações de muitos dorameiros, além de proporcionar em diversos países uma experiência única e nostálgica da cultura pop asiática. Sim, e com isso veremos a partir desta curta matéria digitada a Ascensão & o Fim do DramaFever. O DramaFever foi uma plataforma de serviço de streaming que proporcionou ao consumidor de conteúdos asiático: filmes, programas para TV e documentários legendados com alta qualidade e definição para membros que mantinham suas assinaturas mensalmente/anualmente. Disponibilizado nos sistemas Androide, iPhone, iPad e Roku. O DF continha coleções licenciadas dos EUA, em uma vasta biblioteca de programação internacional, com mais de 15.000 episódios de 70 parceiros de conteúdos em 12 países. 

Diferente dos sites piratas que atuavam de forma irregular e sem licenciamento, sua plataforma trabalhava em formato beta antes da sua super estreia. E para manter um sistema de operações como aquele que atuava no mercado, foi levantado pelos próprios fundadores um investimento de $ 12 milhões de dólares, e isso muito antes da Softbank (empresa japonesa multinacional) adquirir o site em outubro de 2014 por um valor equivalente a US $ 100 milhões. No ano de 2016 a SB vendeu o site para a Warner Bros e o DramaFever passou a ser subsidiária. 

Fundado em 06 de agosto de 2009 pelos cofundadores Seung Bak e Suk Park, na cidade de Nova Iorque, começando apenas com séries de dramas coreanos, com o passar dos anos, outros conteúdos além da coreia, vieram também da China, Japão, Tailândia, Taiwan e Austrália. Cresceu e se expandiu cada vez mais em seus serviços que eram oferecidos aos assinantes ocidentais/orientais, que ficaram cada vez mais conhecidos pela agilidade e qualidade nas legendas que eram fornecidas pela equipe de tradução/revisão, equipe de marketing e divulgação. Ao longo dos anos (depois da vendas e compras entre Softbank e Warner Bros), grandes sucessos foram adicionados exclusivamente para o catálogo do DF, depois da expansão para outros países como américa latina, e com isso a febre se espalhou pelo Brasil. A plataforma possuía versão Gratuita e Premium. 

Serviço Gratuito: Além de ter uma conta, o acesso aos dramas, filmes e outros conteúdos eram livres, cada episódio gratuito era estabelecido a exibição de propagandas e intervaladas de curta duração. 

Serviço Premium: O usuário tinha acesso a todos os conteúdos que eram disponibilizados pela plataforma, e em resolução HD, sem a exibição de propagandas durante os episódios, a forma de pagamento era em em dólar e euro, e poderia escolher a forma de pagamento mensalmente $ 4.99 / € 4.25 ou anual $ 49.99 / € 42.60 (o preço poderia variar de região para região). 

No site eram disponibilizado uma ferramenta onde o usuário poderia criar uma lista dos conteúdos que desejaria assistir, navegar em busca de novos programas na barra de pesquisa (que se encontrava no menu), para que pudesse interagir na plataforma por meio de comentários, abrindo uma vasta possibilidade de conteúdos como filmes, k-pop e notícias. O DramaFever também possuía outros canais de comunicação como: Facebook, Twitter, Instagram e YouTube, onde disponibilizavam outros tipos de conteúdo em relação a cultura pop asiática, lançamentos/estreias, curiosidades e outras modalidades de entretenimento. 

Lembro-me bem que as comunidades do App Amino (kpop, doramas, animações), sempre citavam o dramafever em suas matérias, quando havia indicações. Todo fã brasileiro tinha em mente, em assistir suas preferências sem muita burocracia através do site pelo computador/notebook, tablete e smartphone. 

Última publicação do site DramaFever | Reprodução

Em outubro de 2016 a Warner Bros – compra o site DramaFever da SoftBank, e “comanda” as operações juntos com os funcionários que já trabalhavam desde a fundação lá em 2009. No entanto, em outubro de 2018, o site anunciava um aviso de que tinha encerrado as atividades da noite pro dia e sem muitas explicações, emitindo uma nota por razões entre negócios e futuros investimento dentro do antigo Time Warner, que tomou a decisão de seguir um novo rumo do mercado, que estava mudando. Infelizmente muitos usuários e clientes ficaram sem entender os motivos do encerramento, mas com o passar do tempo tudo ficou mais claro, visto que 2018 foi o período em que os streamings ganharam mais visibilidade lá fora, a AT&T e WarnerMedia Entertainment por outro lado já estava com planos para lançar um serviço de streaming onde reuniria HBO, CNN, TVT, TBS, TrueTV, Cartoon Network, Adult Swing e CW, produções originais da Warner Bros; DC Entertainment, New Line e o conteúdo licenciado e original do Crunchyroll, o serviço de streaming de animes, doramas e outros programas. 

Essa matéria foi realizada com base nos registros do Wikipédia DramaFever e também pela HBO MAX, WarnerMedia e AT&T. Infelizmente a matéria saiu curta, mas espero que tenham gostado, deixe nos comentários a sua opinião sobre o DramaFever! Para esse e outros conteúdos exclusivos, não deixe de acompanhar a Boys Love Brasil nas redes sociais

Twitter-Boy | Face-Boy | Insta-Boy | YT-Boy | Tele-Boy | What-Boy 

Créditos: 

Arte de divulgação: | Referência: Warner Bros, HBO MAX, WarnerMedia | Revisão: Fernanda Cruz | Texto: Paulo G. Veloso

Compartilhar esta publicação

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja